Truth at Gunpoint

Padrão

Alô, freguesia esparsa. Vejam só que coisa.

Há meses eu não posto nada, e o que venho postar não é novo. Mas acho que ainda é válido. Em janeiro descobri, pelo perfil do Neil Gaiman no Twitter (@neilhimself), o projeto de um poemcast. Uma menina chamada Ayu convocava gente do mundo todo a enviar seus poemas em mp3. Achei a proposta ótima, gravei e editei o que considero o meu melhor poema e… Nada. O projeto não saiu do papel. Não recebi ao menos uma resposta da Ayu. E foi então que decidi postar o áudio aqui. Deu bastante trabalho, e não acho que ele deva ficar pegando mofo no meu HD. Apesar de, claro, achar bastante constrangedor ouvir minha voz gravada. Um poema meu gravado. Tudo o que escrevo é absurdamente pessoal. Publicar é sempre um esforço. Verbalizar, então… Mas enfim, aí está. O nome do poema é Truth at Gunpoint, e foi originalmente publicado no meu DeviantArt.

PS: Não linkei a Ayu porque fiquei puta com essa história. Foi proposital mesmo.

Anúncios

3 comentários sobre “Truth at Gunpoint

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s